Como contar histórias?

🔺 Contar uma história é como costurar palavras, alinhavar fatos, ideias, conceitos – um ponto depois do outro!
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
1) Sê simples e direto.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
2) Prefere tu as frases curtas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
3) Preocupa-te em construir algo com começo, meio e fim.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
4) Atenção à clareza! Pergunta-te: o que Eu quero dizer, afinal?

🔺 Lê mais histórias!

Quando lemos, nos transportamos para outros mundos. Instigamos nossa imaginação para reconstruir as cenas lidas, ampliamos nosso repertório de palavras, “experimentamos” (ainda que de leve!) as mesmas sensações dos personagens, exercitamos a empatia. Uau! Só temos a ganhar. Quando terminamos a leitura de um livro, somos outra pessoa.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Use isso a teu favor. E diverte-te no processo!

🔺 Ouve mais histórias!

Todos os dias, muitas pessoas passam por nós – às vezes, dizem apenas um olá, um bom dia… noutras, compartilham connosco fragmentos de histórias, pedacinhos de suas vidas. Ao prestarmos atenção no que elas dizem-nos, aprendemos mais, cultivamos a empatia, alegramos o dia do outro.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Sê generoso: ouve mais!

Ui, deu branco.

🗒 A página está ali, limpinha, a esperar qualquer coisa… ou pior: o ecrã a piscar aquela luz fria.

E então, a pessoa vê-se tramada! 😬

🙌 Guarda está dica para a próxima vez em que isso acontecer: não fique sentada na frente do computador, com aquela cara de interrogação, sem noção do que escrever, como e por onde começar, ou a esperar uma centelha de inspiração. Sai já daí!

Vai tomar um duche.
Dá uma caminhada.
Pega um café.

Faz uma pausa e não te cobres tanto. Acontece!

Daqui a pouco, uma ideia surge.

E tu, tens alguma dica para acabar com a “maldição da folha em branco”?

Como tu estudas?

Uma das minhas estratégias é marcar os textos com cores diferentes para depois, quando precisar, eu bater o olho e a informação “saltar” da página. 🤓

E a tua estratégia infalível, qual é? Conta aqui pra mim, vá… 😉

Expressa-te e sê verdadeiro.

Cada um de nós tem um jeito diferente de se expressar.

Criatividade pode ser entendida* como a produção de uma novidade por meio de elementos já existentes…

Ou como um processo de crescimento, devir, mudança.

A primeira definição postula o mundo como um conjunto de partes distintas; o segundo, como um movimento ou fluxo contínuo.

* Belíssima definição dos antropólogos Elizabeth Hallan e Tim Ingold, em Creativity and Cultural Improvisation.

🌊 Eu escolho o fluxo contínuo… e tu? 😉

Roube como um artista

Original ou uma cópia?

Há quem diga que nada se cria, tudo se copia #ditopopular

Bem, prefiro as inspirações: um novo olhar sobre a coisa, o meu toque pessoal, o meu jeito de fazer…

Pensa assim: num mar de mesmice, o original se destaca. E é isso o que buscamos, não?

Não se compare. Mas Inspire-se em múltiplas fontes, faz um mix e dá lá o teu toque pessoal.

Essa é uma dica do #RoubeComoUmArtista que vale levar pra vida.

Ajuste de rota

Dezembro é o mês de ajuste de rota, por aqui. 😁

E tu, me conta, como e quando fazes os ajustes necessários das tuas metas?