Homem objeto

Homem objeto, exibido pelas ruas da cidade, nos chás de caridade, pras tias velhas empoadas. [Calem-se!] Não enxergam que estou acompanhada? Não percebem o quanto sou amada? Sexo todo dia, café na cama [um love-doll sem conceito, um amante sem desejo]. Romance de novela da Globo na minha vida! Vocês não adoram o meu bibelô?…

Bonequinha de lixo, aprendi cedo a fazer meus caprichos, seduzir sem me deixar encantar… Pra montanha-russa de emoções basta um bilhete do parque. Comprei, me enganei, caí.

Maquiagem borrada, máscara arrancada, coração ferido, me descobri humana, afinal. [Amei o deus errado]. Tirei meus ídolos da parede. Dorian Gray foi destituído.

Da carne, com gosto de desejo, ficou a saudade.

Da boca, de sorriso fácil, só restou indiferença.

No vaso rachado, as rosas murchas da minha paixão.

Homem, não se engane, você é o objeto do meu mais doce amor… Persona onipresente, que até em sonhos te vejo. Criança grande e terna, pra sempre vou te amar.

* Essa foto veio do flickr.com/hagerstenguy

O BEIJO

Do lábio entreaberto
Sai a língua úmida
A testar a maciez da carne
A provocar o olhar alheio
A instigar o desejo
Na boca sedenta
Os alvos dentes
Marcam o lábio inferior
Numa mordida despudorada
Tingindo de sangue o tesão
O aproximar é lento
E marcado pela respiração sofrida
O encontro é suave
E molhado pela vontade latente
O enroscar das línguas é demorado
E saboreado pelos sentidos
Sem pressa, te devoro
Minha boca na sua
A querer seu ar
A roubar sua calma
Fusão de almas
Vem, beija a minha boca
E esquece do mundo...
* A foto perfeita veio do flickr.com/vesperis

Quando 1+1 é muito mais que 2

Fui convidada/intimada a escrever um texto pra foto do Paulo Salerno. Em cima do prazo, enviei duas alternativas. Hoje, foi ao ar a versão que eu mais curti. Aqui o link original: Contato Zine, 4ª edição, junho de 2008.

Prostituta Sagrada

Prostituta Sagrada

Mulher humana
Deusa do amor
Tua sexualidade é reverenciada

Prostituta Sagrada,
Tu és paixão, tu és prazer
Muitos são teus nomes
Inana, Istar, Ísis
Hátor, Bastet,
Astarte, Afrodite  ou Vênus

Em teu doce corpo
Humano e divino se entrelaçam
Tu, mulher, és bruxa, és mãe,
Donzela, sereia e puta.

Instintiva e sexual, és Eva
Sedutora, bela e graciosa, és Helena
Divina, és Maria
Sábia, és Sofia

Lua de fases
Mulher de vontades
Humana deusa do amor.

Como seduzir Érato?

Seu corpo curvilíneo, helênico, é alvíssimo
sua textura, macia como as nuvens
desperta o desejo do toque.

Quando fecho meus olhos, quase posso vê-la. Fugidia, escorrega por entre meus dedos e me deixa sozinha na noite quente. Ela sabe que desejo sorver seus beijos, sequiosa por sua saliva. Sinto falta de alimentar-me de suas carícias. Estou faminta, é verdade. E ela brinca comigo, e se esconde para que eu não possa segurar-lhe pelos braços. Para que eu não possa tocar-lhe o sexo, e assim extrair o néctar de que tanto preciso. Amante caprichosa, se fecha a cada nova investida. Sabe que a desejo mais que tudo nesta vida. Mas, se diverte com tais recusas.

Quero seduzir Érato.
Minha intenção é trazê-la para a minha cama.
Para que depois, possa de novo descrever o gozo, a paixão, o amor.

Érato
Mais conhecida como aquela que desperta o desejo.
Musa do verso erótico, da Poesia Amorosa.

É representada por uma jovem ninfa coroada de mirto e rosas. Na mão direita, uma lira e na esquerda, um arco. Ao seu lado, muitas vezes tem um pequeno Amor, que lhe beija os pés.

Para lembrar de ti

Da série Meu passado me condena.


Para lembrar, fechei meus olhos, abri minhas pernas, toquei meu corpo. Apesar do tempo, você ainda está aqui, em mim. Ainda sinto seu hálito, seu cheiro, seu gosto. Posso sentir seu peso, posso sentir sua mão. Meu corpo estremece. Dói lembrar e não ter você.

Quando você foi embora, me restou a memória. E apagá-la foi mais difícil do que te perder. Um mal necessário. E agora me esforço para recuperá-la. Mas o que ficou gravado na pele não se apaga tão fácil. E como um sentimento escondido e mascarado, lembro, aos poucos, das vezes que estive na sua cama.

* Foto de Paulo Salerno. Clica pra ver mais!

História sórdida

Tenho um quê de exibicionista, que satisfaço ao imaginar que alguém, não sei onde, vai ler tudo o que escrevo aqui. Não sou a única, não é mesmo?

Agora, o que mais me excita é saber que ELE vai ler essas linhas. Lá, ele vai me sentir, quase me tocar. É isso o que eu quero. Porque neste momento, todos os meus pensamentos estão com ele. Confesso: não são os mais ingênuos. Nunca foram. Desde o dia, há tempos, que bati meus olhos naquele homem, à porta do meu hotel. Eu o quis loucamente enquanto passeávamos pela cidade, ou tomávamos um café despretensioso no fim da tarde daquele sábado. Mais ainda quando dançávamos numa boate da moda…

Guardo na pele o que tivemos. E, na cabeça, invento outras deliciosas e tantas e sórdidas histórias. Ele é o meu Muso, meu tesão platônico, que me inspira e me faz transpirar.