Uma bica e muitas histórias

No começo, um café

A primeira coisa que fiz ao chegar em Lisboa foi me sentar na esplanada do Café A Brasileira, na Baixa Chiado, pedir uma bica*, inspirar fundo e expirar, lentamente, toda a gratidão por estar vivendo um sonho.

(Deixa eu recapitular umas coisas, rapidinho) – Oi, eu sou a Bia e vim morar em Lisboa com meu filho de 11 anos para estudar, conhecer a Europa e viver outros ares..

É verdade que momentos antes de achar aquela mesa, assim que subi as escadas do Metro na Baixa-Chiado, deixei uma lágrima rolar – eu estava em Lisboa, afinal! É como se ali, naquele cenário, começasse um novo capítulo da minha história. Ao lado de Fernando Pessoa, registrei o momento.

O café é uma bebida social, que pontua diversos acontecimentos cotidianos, não é mesmo?

O café é o começo do dia: há quem não acorde sem antes tomar uma boa xícara fumegante. Ele, o café, finaliza refeições, está presente em reuniões de negócios, nos encontros casuais de amigos, ajuda a enfrentar noite a dentro.

Com sua rica história, ele será o meu fio condutor. Deixo aqui o convite para descobrirmos Lisboa juntos, visitando seus cafés, ouvindo causos, conhecendo sua gente.

Será um prazer tê-lo comigo.

*A história da bica do Café A Brasileira

O Café A Brasileira foi inaugurado no Chiado, em Lisboa, no ano de 1905, vendendo o “genuíno café do Brasil”. O Sr.Adriano Telles, que vivera no país, importava os grãos de produtores locais com facilidade. O sucesso fez a casa crescer, e o Sr.Telles ampliou seu estabelecimento com a Sala de Café, espaço onde se reunia a elite de Lisboa: advogados, médicos, jornalistas, escritores (Fernando Pessoa!), pensadores, revolucionários e estudantes. Todos ali se reuniam para beber café e conversar.

Na época, não havia máquinas de espresso – o café era passado por sacos e vertidos por uma torneirinha – a bica! – para as garrafas, que o serviam à mesa. Neste processo, o café esfriava e perdia um pouco do seu aroma. Diz a lenda que alguns clientes reclamaram da qualidade da bebida e que o Sr.Telles teve que intervir, pedindo que um empregado enchesse a xícara diretamente da bica. Com sabor e aroma mais intensos, o café da bica logo passou a ser o preferido de todos, nascendo, assim, o termo “bica”.

E você, o que pensa sobre isso?! Comente aí, vai...