Água parada

Não sou daqueles riachos

Seguros, rasos, calmos

Minhas águas são claras

Porém

Agitadas, rápidas, ágeis

Corro rumo ao oceano

Com fúria, com pressa

Caudalosa, sou larga

Transparente, sou profunda

Água fresca que renova

Acorda!

Nunca me imaginaria água parada.

3 respostas para “Água parada”

  1. Bia, vi que vc me adicionou no Twitter e vim ver seu blog, achei muito legal o visual de preto no branco, com as fotos….e os poemas verdadeiros.

    Vi aquela foto que vc colocou no Twitter e achei que as poesias tinham algo daquela tatuagem que vc mostra.

    Algo, assim, está aqui para se ver, límpida.

    Gostaria de seguir seus posts, mas não achei no blog um espaço para incluir o RSS..tem?

    parabéns, li as três primeiras e gostei..criativas.

    abraços,
    Nepomuceno

  2. Nepomuceno! Que bom que você gostou deste meu recanto. Seja bem-vindo.

    O RSS estava mesmo em falta – já resolvi isso com um serviço de “entregas em domicílio”. (Eu tinha só o tal do Feedburner, para receber por e-mail).

    Agora, devidamente distribuída pelo RSS, espero conquistá-lo como leitor assíduo (tanto quanto meus esparsos posts permitirem).

    Abraços,
    Bia

E você, o que pensa sobre isso?! Comente aí, vai...