Para lembrar de ti

Da série Meu passado me condena.


Para lembrar, fechei meus olhos, abri minhas pernas, toquei meu corpo. Apesar do tempo, você ainda está aqui, em mim. Ainda sinto seu hálito, seu cheiro, seu gosto. Posso sentir seu peso, posso sentir sua mão. Meu corpo estremece. Dói lembrar e não ter você.

Quando você foi embora, me restou a memória. E apagá-la foi mais difícil do que te perder. Um mal necessário. E agora me esforço para recuperá-la. Mas o que ficou gravado na pele não se apaga tão fácil. E como um sentimento escondido e mascarado, lembro, aos poucos, das vezes que estive na sua cama.

* Foto de Paulo Salerno. Clica pra ver mais!

Uma resposta para “Para lembrar de ti”

E você, o que pensa sobre isso?! Comente aí, vai...